Search
17 dezembro 2018
  • :
  • :

Implementação de um sistema ERP (ex. SAP)

Por Ulisses Fernando Fahl

Ulisses Fernando Fahl
Gestor da área logística / industrial com experiência e carreira desenvolvida em empresas de grande porte como Bombardier, Mann-Hummel, Motorola Industrial, Honda Automóveis e Mercedes Benz

O assunto SAP tem despertado bastante interesse nas empresas e consequentemente nos profissionais e usuários, que no final das contas são os principais impactados no processo de implementação e utilização final do sistema.

Normalmente quando se houve falar de uma implementação de sistema tendemos a acreditar nas apresentações das consultorias quanto ao tempo gasto, desde a formação do time de consultores até o Go Live.

Algumas perguntas devem ser respondidas logo no início, muito antes de chamar uma consultoria.
Por exemplo:
1- O sistema faz parte de uma estratégia global da empresa?
2- Se você faz parte de uma multinacional, seus processos são parecidos com o de outras subsidiárias ?
3- Caso não seja uma implementação corporativa (roll-out), não vale a pena pesquisar alternativas locais ?
4- Seus processos estão bem definidos, principalmente os que atendem nossa complicada legislação tributária, que é um desafio para qualquer cientista da computação.

Vamos entender que precisa-se realmente implementar o SAP.

Inicia-se então uma maratona que tem como primeira etapa buscar no seu relacionamento empresas e pessoas que trabalham com este sistema e quais suas principais experiências, sendo elas positivas e negativas.

Após ter tabulado os relatos e dicas é necessário buscar por consultorias, recomendando que escolha dentre as maiores, pois concentram os melhores profissionais e tem como repor consultores que saem do projeto a qualquer momento. É muito importante deixar claro no contrato que os fornecedores devem repor os consultores que não conseguem ficar no mesmo projeto por poucos meses.

O contrato é muito importante ser revisado por corpo jurídico competente, que conhece os problemas de implementações de sistema. Sugiro que um suporte após “Go-live” seja incluído no contrato, pois situações inesperadas ocorrerão após implementação.

Após ter escolhido as principais consultorias e propostas, deve-se visitar pelo menos dois clientes de cada, mas nada de visitar o gerente que comprou ou implementou o sistema, e sim o usuário que tem a visão real da utilização, aderência do sistema (Aderência fiscal também é crucial, acaba-se na maioria das vezes dependendo de um sistema adicional para tratar da complexidade tributaria) e tenha participado do processo de implementação. Neste caso recomendo um “key-user” (que são peças fundamentais na implementação, e deve ser um profissional muito bom em sua área, com conhecimento de todas as etapas do processo, ou seja, desde o inicio até o final da etapa), pois caso contrário problemas virão e problemas grandes devido a configuração errada do sistema.

Ter alguém da alta gerencia diariamente assistindo a tudo que acontece no projeto é importante, pois decisões estratégicas deverão ser tomadas assim como acompanhamento do cronograma e suas responsabilidades.

Desenvolver um ambiente de SIM, QUEREMOS IMPLEMENTAR O SAP na organização é importantíssimo. Ter bem claro também que mudanças nos processos acontecerão, com certeza, mas que também a confiabilidade e segurança nos números e processos serão maiores e melhores depois o sistema implementado.

Perguntas feitas pelos funcionários do tipo “não vai dar certo”; “sempre funcionou assim e por que mudar ?”; “todo processo de implementação foi um fracasso” são normais, e sendo assim recomendo uma reunião prévia com todos os usuários para esclarecimentos.

Cuide bem da metodologia de treinamento – Uma das formas mais fáceis de levar o projeto ao fracasso ou diminuir o retorno sobre o investimento é oferecer treinamento insuficiente para os usuários do novo software. No modelo mais comum de treinamento, o consultor escreve uma documentação das várias partes personalizadas do pacote e então treina uma equipe, que vai repassar o conhecimento para os usuários finais. Mas, é muito importante que a equipe de treinamento do cliente seja muito boa e com forte liderança sobre os usuários.

Aconselho que o key-user junto com a equipe de treinamento elabore situações anormais no processo e estes sejam testados junto com os consultores para que respostas de como resolver sejam definidas. Não permita que sejam feitos apenas treinamento com os processos considerados perfeitos. No mundo real, outras situações ocorrerão e respostas precisarão ser dadas, caso contrário sua operação irá parar e prejuízos acontecerão.

Considerando que a benefício final do ERP acontece com o uso final que o funcionário dá ao software, o conselho é não economizar nessa área e etapa do processo.

Pelos gestores, já é sabido que o sucesso de um projeto é, em grande parte, determinado pela maneira como ele é conduzido. Isto não apenas para projetos SAP, mas também para qualquer outro ambiente. E para melhorar a probabilidade de sucesso de uma implementação, seja ela de instalação, upgrade ou extensão, a SAP desenvolveu um modelo que a direciona da melhor maneira possível: o ASAP (AcceleratedSAP). Ele é bastante útil e funcional, pois conduz diversas práticas de governança e engenharia de software.

A metodologia ASAP é baseada em pilares, que são divididos em cinco fases. Elas abrangem desde a preparação do projeto, passando pelo Blueprint do negócio, desenvolvimento e testes funcionais até chegar à validação, implementação e elaboração de propostas de melhorias gerais de performance. Este ciclo de governança ajuda a tornar o projeto mais controlável e organizado, aumentando as chances de sucesso.
Comente suas experiências e opiniões sobre a proposta de implementação do ERP !




Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

WP Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com