Logística 4.0: Veja como obter mais rastreabilidade nos processos logísticos

Por Jefferson Castro, gerente de produto da Atech

Investir em soluções que ofereçam mais rastreabilidade nos processos logísticos não é apenas necessário para gerar mais vantagem competitiva, mas também para manter a conformidade e a reputação da marca. A indústria farmacêutica, por exemplo, enfrenta a concorrência de um comércio ilegal e pesquisa divulgada pela OMS (Organização Mundial da Saúde), aponta que, no Brasil, 30% dos medicamentos consumidos são falsificados ou contrabandeados. Além disso, os medicamentos estão entre as cargas mais roubadas no País.

No geral, segundo uma estimativa da CNI (Confederação Nacional da Indústria), até 2016 a indústria de transformação brasileira gastou cerca de R$ 130 bilhões por ano com segurança privada e com as perdas decorrentes de roubo de carga e vandalismo. E o cenário pode estar pior atualmente.

Mas nem todas as notícias são ruins quando o assunto são os processos logísticos no Brasil.

Desde 2007, o Banco Mundial vem publicando regularmente um índice internacional de desempenho do setor de logística com base em um levantamento realizado em 160 países, o LPI – Logistic Performance Index, que visa ranquear quão eficiente cada país é ao embarcar suas cargas para outros países, permitindo assim que o desempenho desses países seja comparado ao desempenho de outros países, regiões e grupos de renda.

Em 2017, de acordo com essa metodologia desenvolvida pelo Banco Mundial, lideraram o ranking internacional de eficiência logística: Alemanha (4,23), Luxemburgo (4,22), Suécia (4,20), Holanda (4,19) e Singapura (4,14), sendo as piores posições ocupadas por: Síria (1,60), Haiti (1,72) e Somália (1,75).

Em 2007, quando o primeiro levantamento foi divulgado, o Brasil ocupava a 61ª posição do ranking com um índice geral de 2,75. Em 2016, com um índice geral de 3,09, subiu para a 55ª oposição do ranking, à frente da Argentina e do Uruguai.

Frente a esses números, fica mais do que comprovada a necessidade de investir em soluções e sistemas que ofereçam mais rastreabilidade aos processos logísticos, certo?

Tecnologia oferece melhor rastreabilidade nos processos logísticos

Além da questão de segurança, uma melhor rastreabilidade nos processos logísticos permite tomadas de decisão mais ágeis e assertivas. Mas, para isso, todos os envolvidos na cadeia logística precisam contar com os dados certos, no momento certo, para tomar decisões que garantam que o frete chegue com segurança, dentro do prazo e em boas condições.

Esse é o conceito da Logística 4.0, e o investimento cada vez maior em tecnologia é visto por muitos especialistas como tendência nos setores de comércio exterior, logística e transporte de cargas, com soluções que ofereçam maior rastreabilidade nos processos logísticos e, consequentemente, ajudem a reduzir custos, aumentar a eficiência, a produtividade e a competitividade.

Inovadoras tecnologias e soluções para gestão e governança de processos logísticos globais ganham cada vez mais espaço conforme a Internet das Coisas (Internet of Things – IoT), Inteligência Artificial e Automação, entre outros pilares da Logística 4.0, levam mais transparência para toda a cadeia. Além disso, tecnologias de conexão como as Redes Mesh aumentam significativamente a confiabilidade e custo da conectividade na cadeia logística.

Informação é a chave para a qualidade

Eficientes sistemas de rastreamento precisam contar com tecnologias de captura, armazenamento e transmissão de dados em toda a cadeia produtiva e logística. Afinal, só é possível controlar, otimizar e garantir a qualidade do que pode ser avaliado.

Soluções de rastreabilidade nos processos logísticos devem ser usadas não apenas para garantir a segurança da carga, mas também para garantir a qualidade do produto, identificando se a geladeira no supermercado está mantendo a carga na temperatura ideal, ou se a mercadoria não está sendo “jogada” dentro de um contêiner. A meta é que o transporte e o armazenamento sejam sempre efetuados em condições ideais.

Para isso, a tendência é que transportadores e operadores de logística invistam cada vez mais em tecnologias de monitoramento para controlar cargas e garantir a segurança em tempo real e em qualquer lugar.

Assessoria de Imprensa




Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

WP Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com