Governo afirma que tornará a China um parceiro comercial mais forte no setor de serviços

Ministro Marcos Jorge discursou na abertura da V Feira Internacional da China para o Comércio de Serviços (CIFTIS), a maior do segmento no mundo na qual o Brasil é homenageado

Em discurso para um público de empresários e autoridades chinesas, o ministro da Indústria, Comércio Exterior e Serviços, Marcos Jorge, disse hoje que o governo brasileiro trabalhará para tornar a China um parceiro comercial cada vez mais robusto no setor de serviços.

“A China segue como maior parceiro no intercâmbio comercial de bens do Brasil, posição que ocupa há quase 10 anos. Contudo, hoje as atenções se voltam aos fluxos comerciais em serviços, uma fronteira ainda incipiente da nossa cooperação econômica e para a qual identificamos, mutuamente, grande espaço de atuação conjunta”, afirmou.

Marcos Jorge participou da abertura da V Feira Internacional da China para o Comércio de Serviços (CIFTIS), a maior do segmento no mundo. No ano passado, as trocas comerciais em bens superaram os US$ 74 bilhões, 27,9% acima de 2016. Este ano, as exportações brasileiras para o país cresceram 10,5%. Do lado das importações, o país totalizou US$ 27,3 bilhões em 2017, crescimento de 17% em relação ao ano anterior. Em 2018, também se observa tendência de crescimento.

Por outro lado, as exportações de serviços do Brasil para o país ficaram em US$ 238 milhões em 2017, enquanto as importações de serviços chineses chegaram a US$ 745 milhões. “Nós sabemos que o setor de serviços é essencial para agregar valor e inovação aos demais segmentos da economia, desde a indústria à agropecuária, incluindo empreendimentos de todos os portes: do microempreendedor individual às grandes transacionais”, disse.

Para o ministro, a participação brasileira na feira, com uma delegação aproximada de 90 pessoas, entre empresários e representantes dos governos estaduais e municipais, é uma oportunidade de alavancar projetos estratégicos em áreas relacionadas a economia digital, comércio eletrônico, turismo e infraestrutura, entre outros.

No Brasil, o setor de serviços respondeu, em 2017, por mais de 70% do PIB e cerca de 75% dos empregos formais. Além de ampliar a inserção das empresas brasileiras no comércio exterior, o governo trabalha com o objetivo de melhorar o ambiente de negócios, facilitar o comércio de serviços, financiar e oferecer garantias às exportações, além de promover o comércio eletrônico.

Após abertura do evento, Marcos Jorge participou, ainda, de encontro bilateral com o ministro de Comércio da China, Zhong Shan. Durante pouco mais de uma hora, os ministros discutiram o aprofundamento da cooperação bilateral em bens e serviços, defesa comercial, propriedade intelectual, além da participação brasileira em eventos futuros promovidos pela China.

CIFTIS

Pequim sediará pelos próximos quatro dias a CIFTIS, organizada pelo Ministério do Comércio (MOFCOM) e o Governo Popular de Pequim, que abre espaço para todos os 12 setores de serviços definidos pela Organização Mundial de Comércio (OMC). A estratégia do Brasil é apresentar oportunidades de investimentos, organizar rodadas de negócios e promover a imagem do país como destino turístico.

O pavilhão brasileiro no evento foi inaugurado nesta segunda-feira em solenidade que contou com apresentação de um grupo de capoeira. O setor produtivo participa do evento com empresários ligados aos setores de hotelaria e resorts, operadoras de turismo, construção e incorporação, serviços jurídicos, consultoria de negócios, serviços esportivos, tecnologia da informação e comunicação. A programação inclui, ainda, o “Brazilian Day”, que ocorrerá nesta terça-feira (29) e contará com exposições sobre o setor de serviços e apresentações culturais.




Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

WP Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com