Agilidade da Nuvem: sonho ou possibilidade

Por Michael Allen, Vice-Presidente e Chief Technology Officer para EMEA da Dynatrace

Todo mundo sabe que agir de maneira rápida e ser capaz de transformar constantemente os negócios são chaves para o sucesso das empresas na economia digital. Essa é a razão pela qual as organizações estão cada vez mais recorrendo a sistemas armazenados em Nuvem, com as aplicações digitais tornando-se o coração de todos os serviços e experiências. Como resultado, estamos vendo uma mudança sem precedentes no cenário de TI à medida que as companhias migram para serviços baseados em Cloud em busca da agilidade necessária para inovarem e acompanharem as demandas dos consumidores. Não por acaso, o Gartner prevê que o mercado mundial de serviços em Nuvem crescerá mais de 20% este ano, chegando a US$ 186,4 bilhões.

Apesar dessas vantagens, a adoção de sistemas em Cloud também abriu uma caixa de problemas que anteriormente não existiam e que, agora, as empresas precisam resolver. São essas questões que estão dificultando a inovação dentro das organizações e que levantam a seguinte pergunta: é possível ter a agilidade em ambientes Cloud?

Enfrentando o desafio da complexidade da Nuvem

As soluções baseadas em Cloud oferecem uma forma ágil de aplicar os recursos de TI dentro da rotina das empresas. Essa possibilidade, por sua vez, acelera a inovação, garantindo que novos serviços possam ser implantados rapidamente, com o mínimo de impacto às operações. No entanto, a natureza dinâmica da tecnologia em Nuvem e a variedade de provedores e modelos de implantação criam ecossistemas digitais complexos, que precisam ser monitorados.

Por isso, embora as abordagens modernas trazidas pela Nuvem sejam extremamente benéficas para criar a agilidade que as empresas precisam, a complexidade trazida por essas soluções também cria ambientes mais difíceis de serem gerenciados, sobretudo a partir de abordagens tradicionais. Uma pesquisa recente descobriu, por exemplo, que uma única transação web ou feita por celular atravessa uma média de 35 sistemas antes de ser concluída. Há alguns anos, esse número não ultrapassava a marca de 22 aplicações.

Dessa forma, monitorar a experiência dos usuários se transforma em um processo meticuloso e identificar a origem de problemas de TI é uma tarefa impossível, se feita manualmente. É nesse cenário que a inteligência de software, com a automação de ferramentas de análise e de gestão de dados, consolida-se como uma necessidade fundamental para companhias de todas as áreas, uma vez que sem o uso de tecnologias de ponta o gerenciamento não consegue ser feito no ritmo necessário para o sucesso dos negócios.

Para que as organizações consigam fazer a transformação digital, elas precisam de uma abordagem inteligente para gerenciar a performance das aplicações. As abordagens orientadas por Inteligência Artificial são mais adequadas pois endereçam as complexidades de ambientes Cloud. Identificam automaticamente a causa raiz de qualquer problema e eliminam, por completo, a necessidade de intervenção manual.

Conduzindo uma mudança cultural

É importante haver uma mudança cultural completa para o sucesso da Transformação Digital. Adotar Cloud não é a garantia de agilidade. Sem uma cultura igualmente ágil, qualquer esforço para acelerar a inovação tenderá ao fracasso. É por isso que o conceito de DevOps (técnica que unifica o processo de desenvolvimento e operação de software) tornou-se uma parte tão importante dos negócios orientados para a inovação. A ênfase na melhoria contínua ajuda a garantir a inovação tendo o cliente sempre no centro das atividades.

Se as organizações querem acelerar a inovação digital de forma eficaz, a responsabilidade dessa transformação não pode ficar restrita à equipe técnica de desenvolvimento. É preciso estimular a participação de toda a organização e dos mais diferentes níveis executivos. Afinal, com os departamentos trabalhando em conjunto, as equipes ganham um componente vital para inovar em ciclos mais rápidos: a colaboração. Somente trabalhando na mesma sintonia, os times de negócios, desenvolvimento e de operações podem criar transparência e foco para avançar e ter sucesso com os projetos de TI.

Ao simplificar as análises e criar a proximidade entre os times, as organizações inevitavelmente produzirão melhores resultados. Além disso, a colaboração entre as equipes reduz a pressão sobre a área de TI, tendo diversos departamentos unidos em prol de objetivos comuns. Por exemplo: as informações obtidas pela inteligência de software aceleram o trabalho e possibilitam que as empresas encontrem defeitos no início do processo de inovação, ajustando rapidamente os sistemas sem perda de produção. Com isso, é possível minimizar o risco de impacto nas experiências digitais dos usuários.

Pavimentando o caminho para o sucesso das aplicações

A cultura do desenvolvimento contínuo pode ser criada e mantida por meio da inteligência de software. Com modernos sistemas para automatização, controle e medição, é possível gerenciar aplicações, verificar a performance dos sistemas e ajustar eventuais problemas em sites e em aplicativos que podem atrapalhar as compras via e-commerce.

Todas as ferramentas de monitoramento geram muitos dados, mas o que difere as tecnologias modernas das antigas é o que elas fazem com essas informações. Uma solução ultrapassada apresenta uma série de gráficos e métricas, mas a parte analítica precisa ser feita pessoalmente por técnicos altamente especializados, e caros. Isso era aceitável no passado em ambientes de TI simples. Agora, as empresas não podem perder um minuto sequer e, por isso, precisam de insights e respostas rápidas, geradas por avançadas plataformas de APM (Application Performance Management).

À medida que as organizações migrem seus dados para infraestruturas em Cloud, será crucial estabelecer uma base ágil e firme para que a instalação do software de gerenciamento de informações. A Nuvem Corporativa é um ingrediente central para gerar agilidade dentro das empresas, mas sem as ferramentas e sem uma cultura igualmente dinâmica qualquer esforço para acelerar a inovação pode falhar. A inteligência de software está, portanto, tornando-se o ingrediente-chave para possibilitar a rápida inovação, oferecendo a visibilidade que as organizações precisam em seus ambientes de tecnologia que estão cada vez mais complexos. A colaboração mais próxima dos times e a automação dos processos de TI podem render diversas oportunidades para quem deseja partir para uma verdadeira Transformação Digital.




Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

WP Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com