A importância da governança tributária para o crescimento do setor de varejo

A busca pelo compliance fiscal e tributário passa a ser uma necessidade para se atender todas as demandas do FISCO. A governança é peça-chave para aplicação desses processos

Por Victória Sanchez

A Governança corporativa surgiu como uma forma de assegurar que todos os processos das empresas fossem controlados, mantendo os valores e ideais da corporação. Cada vez mais, a área fiscal exige que seus gestores e profissionais estejam preparados para atender as complexas demandas em âmbitos federais, estaduais e municipais. Por isso, uma boa governança aplicada na parte financeira passa a ser fundamental no desenvolvimento das organizações, resultando em compliance e otimização de processos, ainda mais quando falamos no setor de varejo, que tem particularidades tão únicas, em especial pela volumetria de obrigações e dados exigidos pelo Fisco, que vem exigindo um maior controle dos processos.

Tenhamos como exemplo o eSocial. A nova obrigação veio para coletar informações no ato da ocorrência da aplicação. Se um novo profissional for admitido, é necessário que se avise antes dele iniciar suas atividades. O governo deseja aprimorar e informatizar os sistemas durante a ocorrência e não apenas depois dela.

Essa mudança de postura, aliada as outras inúmeras obrigações fiscais e regras tributárias, que além de tudo, variam por estado, acabam se tornando muito penosas as empresas que não adotam medidas de gestão e inteligência. Há casos em que se chega a ter um envolvimento de 40 a 200 profissionais apenas para cuidar dos processos de apuração, pagamentos, geração das obrigações acessórias e atendimento à fiscalizações. Para maior clareza, podemos citar como exemplo 1 obrigação exigida que é o SPED Fiscal a ser entregue mensalmente por estabelecimento, tendo datas de entrega diferente por cada Estado. Isso significa que uma empresa varejista com 1700 lojas espalhadas pelo Brasil, terá que entregar no mínimo 1700 SPED´s Fiscais com distintos vencimentos a cada Estado em que esteja instalado. Porém, sabemos que não se trata de apenas uma única obrigação a ser exigida pelo Fisco, somando as demais obrigações do dia a dia até para manter o funcionamento de cada loja, poderá acarretar num volume de 5000 obrigações mês. O desafio é ter um controle e governança sobre toda essa operação de forma organizada e consistente.

Os benefícios

Dessa forma, os principais benefícios para os varejistas que fizerem uso de uma boa governança na parte fiscal e tributária são:
Redução de retrabalho;
Redução da exposição da imagem da empresa perante o governo;
Evitar multar e autuações por perda de prazos e dados incorretos;
Acuracidade das informações para se manter compliance;
Redução de passivos na contabilidade;
Maior facilidade com eventual recuperação de crédito.

A hora de mudar é agora

Não há mais espaço no mercado para empresas que não atuarem em conformidade. A utilização da governança é uma necessidade diante da mudança cultural do FISCO e tende a beneficiar empresas de varejo, quando essas compreenderem e se adequarem as novas necessidades. A hora de usar tecnologias e ferramentas novas disponíveis no mercado é agora!

Victória Sanchez é especialistas em soluções fiscais e tributárias. Integra desde 2006 o grupo de trabalho do SPED, em conjunto com representantes do Governo Federal, órgãos federativos, e players da iniciativa privada atuantes no processo piloto para novas obrigações fiscais em desenvolvimento. Atualmente exerce a função de Diretora de Produtos na Taxweb, ficando responsável pela gestão de todo o time de tecnologia, conteúdo fiscal e pelo portfólio de produtos, objetivando transformar o ambiente de trabalho das empresas no atendimento compliance tributário, potencializando o talento humano com soluções indispensáveis, confiáveis, simples e colaborativas.




Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

WP Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com